domingo, 5 de outubro de 2008

Sol do Chile




Tenho pena do homem que morrer sem antes amar uma loira à luz de velas.

O preto de sua roupa misturado ao roxo do vinho

criam um ar de paraíso hedonista.

As curvas se destacam com o pressionar das mãos.

A voz mansa provoca agora um turbilhão de arrepios.

Os cachos de cabelo há muito já viraram pétalas de rosas.

A sala transforma-se em um cubículo, não cabe mais um grão de
areia.

A certeza da eternidade some e dá lugar ao imenso prazer.

O medo me alcança

pois o homem que esquecer o que é amar uma loira à luz de velas

já é digno de pena.

ThiagoAlbino

Um comentário:

Mari disse...

MARAVILHOSO!!
dia perfeito!!
AMO.