sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Versos da despedida


E você vai
de súbito
assim como chegou

E vai levar
meu peito (doído)
que conquistou

Presa fácil
para seu tom de voz,
para o aprazível jeito
de prezar o viver

Intensa,
daquelas que queimam
esbanjam amor
e uma peculiar vontade de amar

e você vai
e vai chegar
todos os dias

e vai voltar
e vai embora
sempre

Sua despedida não é agora ( grande amiga )
não temos despedidas
e sim, um irremediável
desencontro

E assim mais tarde
nós seguiremos
juntos e separados
naufragados
pela vontade de viver

Paulo Reis

2 comentários:

Luis Alberto disse...

buena poesía, me gusta tu blog!
que pena que no sepa mucho portugues

Paty disse...

Além de ser um ótimo poeta, é tb amigo e conselheiro...rs Adoro seus poemas e sempre me identifico com eles... Parabéns!!!!
bjs